Curta nossa fanpage

Curta a página dos editores

Pesquisar:

BLOG FALANDO DE DANÇA, BY LEONOR COSTA

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Entenda o que o dia 13 de julho significa para a história da dança de salão



Exatamente hoje, dia 13/07/17, mas há 206 anos atrás (1811), um professor de dança publicou anúncio de aulas "a qualquer pessoa civilizada" da cidade do Rio, então colônia portuguesa.

Luis Lacombe chegou acompanhando a esposa, famosa soprano italiana contratada para se apresentar para a corte portuguesa aqui instalada desde março de 1808. Ele desembarcou em 11/07/1811 e dois dias depois, já instalado na Rua do Ouvidor nº 82, publicou o primeiro anúncio de aulas de dança na Imprensa Régia, representada pelo jornal Gazeta do Rio de Janeiro.


Em uma cidade cuja população estava maravilhada com a intensificação de uma vida social antes quase inexistente, aprender a dançar e frequentar bailes era talvez a melhor diversão, pois podia-se ver e ser visto, ter contato com outras famílias, rapazes e moças poderiam se conhecer e suas famílias poderiam tratar de casamentos. Resultado: aulas de dança se tornou um serviço bastante requisitado e o professor de danças de baile gozava de prestígio e posição social. Tanto que Luis Lacombe mandou vir os irmãos para auxiliá-lo.

Google Image: baile na Ilha Fiscal
Luis Lacombe tornou-se mestre de dança da família real portuguesa, ensinando danças de baile para os filhos de dom João, dentre os quais, dom Pedro I. Seu irmão, Lourenço Lacombe, seguiria a tradição da família, dando aulas para dom Pedro II.
Dança de Salão Patrimônio Cultural do RJ
Foi com base neste anúncio de Lacombe, pesquisado por Antonio Aragão, editor do Jornal Falando de Dança, na Biblioteca Nacional, que o então deputado estadual Alessandro Molon, na época presidente da comissão de Cultura da Alerj, propôs o projeto da agora Lei 5828/2010, declarando a dança de salão carioca patrimônio cultural imaterial do Estado do Rio de Janeiro. O PL de Molon foi aprovado em plenário por unanimidade, com a participação, nas galerias, de profissionais e dançarinos de salão, após campanha do Jornal Falando de Dança pelo comparecimento dos representantes da dança de salão.
Logo Prêmio Cultura da Dança de Salão

Prêmio Cultura da Dança de Salão
Foi a propósito do anúncio de 1811 de Luis Lacombe que a AMAragão Edições e Eventos, que publica o Jornal Falando de Dança, se associou a Valdeci de Souza para, em 2011, realizar o projeto Prêmio Cultura da Dança de Salão, que incluiu a exposição no Centro de Artes Calouste Gulbenkian e o Baile do Bicentenário, realizado no Helênico Atlético Club, com copatrocínio da Secretaria de Estado de Cultura do RJ (SEC-RJ).
  • Leia AQUI o que foi o projeto Prêmio Cultura da Dança de Salão.
  • Leia AQUI o press release do projeto.
  • Veja AQUI as fotos do Baile do Bicentenário
  • Veja AQUI a cobertura fotográfica do site UOL

Exposição 200 anos de ensino de dança de salão
Parte integrante do projeto Prêmio Cultura da Dança de Salão, a exposição teve temporada no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, no Helênico Atlético Club, no Bangu Atlético Clube, no Centro Coreográfico da Cidade do RJ e na Secretaria de Educação da Prefeitura de Duque de Caxias. Ao todo, recebeu cerca de três mil alunos da rede pública de ensino, com ônibus chegando de manhã e de tarde no Calouste e no Helênico, para aulas de história com a curadora da exposição, Leonor Costa, e oficinas de dança com profissionais da dança e graduandos em dança que trabalharam voluntariamente no projeto.
  • Veja AQUI, AQUI e AQUI fotos da exposição no Calouste, com aulas para escolares
  • Saiba AQUI sobre a passagem da exposição itinerante pelo Bangu Atlético Clube
  • Saiba AQUI sobre a inauguração da exposição itinerante em Duque de Caxias
  • Saiba AQUI sobre a passagem da exposição itinerante pelo Centro Coreográfico
  • Acesse AQUI o catálogo da exposição, em pdf (habilitado para download)
"O projeto foi elaborado após campanha do Jornal Falando de Dança para que o segmento realizasse comemorações alusivas à data. Como percebemos que não havia movimentação dos produtores culturais nesse sentido, resolvemos por mãos à obra e inscrever o projeto elaborado por Leonor Costa no edital de cultura da SEC-RJ", explica Antonio Aragão.
  • Leia AQUI o artigo de Antonio Aragão "200 anos: agora é a hora de se pensar a respeito"
  • Leia AQUI o artigo de Antonio Aragão "Lanço um desafio"

Livros da coletânea "200 anos de dança de salão no Brasil"
Outra parceria também comemorativa dos 200 anos foi a da AMAragão com o pesquisador Marco Antonio Perna, que lançou, pela editora AMAragão, a coletânea "200 anos de Dança de Salão no Brasil". O lançamento do primeiro volume aconteceu no Baile do Bicentenário, em 16/07/2011, com a presença dos autores da coletânea, para a tarde de autógrafos. Os demais volumes foram lançados nas edições seguintes do Prêmio Cultura. Nesse mesmo baile foi lançado o catálogo da exposição "200 anos de ensino da Dança de Salão no Brasil" (edição especial do Jornal Falando de Dança, nº 46).

Dia do Dançarino e campanha "Uma Estátua para Antonietta"
O Prêmio Cultura da Dança de Salão teve mais duas edições, também em parceria AMAragão e Valdeci de Souza. A edição de 2012 teve como temática "relançar" o Dia do Dançarino de Salão do RJ (21 de julho), efeméride criada por lei municipal de autoria do então vereador S Ferraz em 2001 e praticamente desconhecida dez anos depois. Os profissionais da dança presentes ao Baile do Dia do Dançarino receberam do mandato do vereador Ferraz uma moção em homenagem à data. E em homenagem à falecida mestra Maria Antonietta foram recolhidas assinaturas para a campanha lançada pelo Jornal Falando de Dança e o site Agenda da Dança de Salão Brasileira (de Marco Antonio Perna), "Uma Estátua para Antonietta". Durante o baile, foi lido o ofício de encaminhamento do pedido da estátua, feito pelo mandato do vereador Reimont à Seconserva (secretaria municipal responsável, dentre outros, pelas estátuas e chafarizes da cidade). O dossiê com o histórico de Maria Antonietta, CD com gravações de suas entrevistas e o livro de assinaturas da campanha foram entregues ao então secretário Osório por um petit comité formado pelo vereador Reimont e os idealizadores da campanha, Marco Antonio Perna, Antonio Aragão e Leonor Costa.

Mostra de dança de salão infanto-juvenil
Já a edição 2013 do Prêmio Cultura da Dança de Salão teve como temática a dança de salão infanto-juvenil. Houve uma mostra coreográfica de dança de salão infanto-juvenil no Museu do Exército e Forte de Copacabana e o Baile da Premiação, de entrega de medalhas e troféus aos profissionais com projetos voltados para esse público, que representa o futuro da dança de salão. Até hoje, esta foi a única mostra de dança de salão infanto-juvenil realizada na cidade. Era intenção do Jornal Falando de Dança lançar uma "semente" para que mais mostras infantis fossem realizadas, a exemplo do evento A Noite é Uma Criança, realizado anualmente em Florianópolis, Santa Catarina. Ainda no Baile da Premiação foi lançado mais um volume da coletânia "200 anos de dança de salão no Brasil" (Amaragão Edições, org. Marco Antonio Perna) e o livro de Elaine Reis "Pé de Valsa, O Reverso da Moeda" (Amaragão Edições).

O baile da Ilha Fiscal
Era intenção dos idealizadores do Prêmio Cultura da Dança de Salão realizar a quarta edição em plena Ilha Fiscal, em novembro de 2014, quando se comemoraria os 125 anos do último baile do Império do Brasil ali realizado. Infelizmente, devido aos altos custos que tal evento demandaria, e diante da falta de patrocinadores, a ideia foi abortada e deu-se por encerrado o projeto Prêmio Cultura.
  • Leia a edição de abril de 2008 do Jornal Falando de Dança, com a matéria especial sobre o baile da Ilha Fiscal, AQUI.
  • Nosso post sobre a Ilha Fiscal e o último baile do Império, AQUI.
  • Sobre sociedades dançantes, gafieiras e dancings, AQUI.
  • O último baile do Império do Brasil

Repercussão na grande mídia
As edições do Prêmio Cultura da Dança de Salão, com base no anúncio de 13 de julho de 1811, de Luis Lacombe, chamaram a atenção do Jornal Extra, da Tv Record, da Tv Cultura e do site UOL, que publicaram reportagem a respeito. Leonor Costa, que elaborou o projeto e foi curadora da exposição, foi convidada a escrever a respeito para a Revista de História da Biblioteca Nacional e este artigo foi assunto da coluna da Veja-Rio.

Considerações finais
Os eventos desencadeados pelo anúncio de Luis Lacombe valorizaram a cultura da dança de salão e mostraram como a história dessa linguagem de dança e as efemérides de que este segmento dispõe podem gerar uma produtiva cadeia na economia criativa e na vida cultural da cidade. Foram exposições, bailes, lançamento de livros e catálogo, lançamento de linha de souveniers, mostra de dança, apresentações, entrega de troféus e medalhas, entrega de moções da Câmara Municipal do RJ, desfile de moda, aulas de história, oficinas de dança para alunos da rede pública de ensino, dentre outros desdobramentos. Temos, no Rio de Janeiro, efemérides ligadas à dança pouco aproveitadas pelos produtores culturais e pouco valorizadas pelos profissionais da dança. Dia do Dançarino de Salão (21 de julho), Dia Internacional da Dança (29 de abril) e Semana da Dança de Salão do RJ (última semana plena de novembro) são efemérides que deveriam ser mais divulgadas no meio e serem marcadas por atividades visando à aumentar a visibilidade dessa cultura frente ao grande público. Importante registrar que se não fosse o empenho dos diretores da AMAragão, que se envolveram diretamente na execução das atividades aqui mencionadas, e a ampla campanha veiculada pelo Jornal Falando de Dança, nenhuma dessas realizações teria acontecido.
Leia mais:

Postagens populares